Celia Matsunaga

Visualidade Amazônica

Projeto de pesquisa do Programa de pós graduação em Design/UnB

 

Faculdade de Comunicação

<

Alter do Chão é uma vila fundada em 1626 pelo português Pedro Teixeira, localizada a aproximadamente 30 km de Santarém no Pará. Localizada à margem direita do rio Tapajós (810 km de extensão), um dos mais importantes da região Amazônica, a vila de Alter tem aproximadamente 3.000 habitantes que vive em sua maioria do turismo ecológico e também da pesca. São muitos os atrativos naturais (Igarapés, mangues, a floresta do Tapajós, o lago verde) e culturais tais como a festa religiosa do Çairé, originária das incursões religiosas jesuíticas na Amazônia durante o período de implantação das missões jesuíticas no Brasil pelo Pe. Antonio Vieira (FERREIRA, 2008), e atraem muitos visitantes de todo país e do exterior.

Denominada “Expedição na Amazônia 1 e 2”, nossa equipe de pesquisadores visitou Alter do Chão, Bragança e Comunidade Coroca (Arapiuns) em fevereiro e outubro de 2016, com um propósito de mapear visualmente a região. Captura de sons, imagens e entrevistas foram feitas com as comunidades ribeirinhas, pescadores e barqueiros locais, o que trouxe elementos fundamentais para o início da análise visual e, ao mesmo tempo, despertaram a necessidade de investigar mais profundamente como a relação humano-natureza se constrói naquele ambiente.

Amazônia

Amasonha

Aquasonho

Bolsa d’água

Útero verde

Mãe das águas

 

Amazônia dela mesma

Amada

Matas índios lendas

Macunaíma tandav-u muiraquitã

 

Espelho d’água

Lua no lago

Icambiabas amando

Filhos da lua

Amuletos da sorte

Felicidade

 

Lua n’água

Do mar doce

Doce amar

Não se pode falar da amazônia

Sem falar de amor

 

Joel Cavalcante